Na indústria de petróleo e gás, o gás natural decorrente da produção de petróleo precisa ir para algum lugar – e caso não tenha acesso fácil a um gasoduto, o gás natural pode acabar na atmosfera, seja através da queima de gás ou do sistema de respiro. Contudo, embora a queima de gás ou um sistema de respiro seja a solução mais conveniente, ela está longe de ser a melhor. Essas práticas têm implicações significativas para o meio ambiente e para os resultados da empresa.

Queima de gás natural e sistema de respiro – um problema crescente.

Em 2018, a queima de gás duplicou na Bacia do Permiano, com um valor estimado de US$ 1 milhão por dia de gás natural sendo queimado em vez de utilizado.

No formação de Bakken na Dakota do Norte, que queima mais gás do que qualquer outra área do país, as perfuradoras produziram 2,8 bilhões de pés cúbicos de gás natural por dia em março de 2019. Aproximadamente 20% do gás natural foi queimado – o suficiente para aquecer todas as casas do estado por um mês, 10 vezes mais e significativamente acima do limite de 12% do estado. Enquanto isso, as empresas de perfuração e completações de poços continuam a investir pesado na geração de energia, comprometendo as preciosas despesas de capital enquanto batalham para capturar e utilizar sua queima de gás.

O controle dessas práticas vem aumentando no mundo com a preocupação demonstrada por governos e organizações ambientais com relação ao desperdício de energia e às implicações ambientais. De acordo com o New York Times, a queima de gás e o sistema de respiro da Exxon vêm aumentando drasticamente desde 2017 e estão quase batendo o recorde. A empresa descartou 70% a mais de gás em 2018 do que em 2017.

O Banco Mundial também se pronunciou sobre o problema, dizendo que essas práticas são "um tremendo desperdício de recursos naturais", e estimou que mais de 350 milhões de toneladas de dióxido de carbono foram liberadas no ar em todo o mundo em decorrência da queima de gás.

Há um desperdício significativo de gás natural pelas principais empresas petrolíferas – sendo a Chevron uma exceção, que reduziu sua queima de gás e sistema de respiro abaixo de 3% de sua produção de gás total. Infelizmente, entre as empresas petrolíferas de menor porte, esse problema é ainda pior. Parece que produtores petrolíferos de menor porte queimam ou ventilam quase 100% do gás natural que produzem a partir de seus poços.

Por que a queima de gás e o sistema de respiro ainda são tão prevalecentes?

A produção de gás natural sempre foi um subproduto da perfuração de petróleo, e mesmo com todos os avanços nas tecnologias de perfuração, não há como escapar do fato de que o gás natural e o petróleo são normalmente considerados um pacote global. Com o grande aumento do fraturamento e da produção de petróleo de xisto, o problema só piorou. A produção de xisto libera grande volume de metano e algo precisa ser feito quanto a isso.

Tradicionalmente, existem poucas opções:

  • Queima de gás. A queima de gás se tornou a opção comum para muitos produtores, pois ela permite a queima do gás natural, eliminando essa preocupação. O "gás natural" resultante das diferentes operações de perfuração pode variar significativamente em termos de composição; contudo, a maior parte, se não a sua totalidade, pode ser queimada com o uso de tecnologias já existentes e a um baixo custo.
  • Sistema de respiro. O sistema de respiro é outra opção muito adotada pelos produtores, simplesmente liberando o gás natural na atmosfera. Mesmo que não exista a preocupação de realizar a queima de gás, fica difícil ignorar o impacto ambiental do sistema de respiro, já que essa prática resulta na liberação de metano em vez de CO2. O metano é um gás do efeito estufa ainda mais prejudicial.
  • Transporte por gasoduto. Caso já exista a infraestrutura, os produtores podem transportar gás natural da praça de sondagem até outro local para sua venda ou outra utilização. Contudo, o acesso a um gasoduto pode ser desafiador, pois eles normalmente não são construídos com a agilidade necessária para acompanhar o tempo de vida relativamente curto de muitos locais de produção de xisto e, mesmo se disponíveis, sua utilização tem um custo – que pode ser difícil de justificar caso os preços do gás natural estejam baixos.

Infelizmente, mesmo com todos os impactos ambientais e o desperdício de energia resultantes da queima de gás natural, a produção de petróleo ainda é um negócio cujas decisões devem ser jusitificadas com base em preocupações financeiras. Os produtores têm metas e a menos que existam regulamentos que exijam determinadas ações quanto aos subprodutos de gás natural – o que é muito improvável acontecer em muitas das áreas com maior produção de petróleo do mundo –, eles tomarão decisões que importem na redução de suas despesas de capital.

Solução comprovada de captura de gás – uma alterativa economicamente viável à queima de gás ou ao sistema de respiro

E se fosse possível capturar e converter o gás natural produzido a partir de seus poços em energia utilizável – energia para suprir sua operação? A SoEnergy tem experiência comprovada em ajudar os operadores a converter gás queimado em energia confiável e econômica. As equipes de produção de petróleo e gás estão usando nossa solução de captura de queima de gás para reduzir sua pegada de carbono, reduzir seu número de funcionários e otimizar seus custos sem incorrer em riscos desnecessários.

As vantagens de nosso sistema de captura e conversão incluem:

  • Antecipação à regulamentação ambiental. O relatório de Queima e sistema de respiro de gás natural: visão geral, tendências e impactos regulamentares estaduais e federais, emitido pela Agência de Energia dos Estados Unidos, esclarece que as regulamentações acerca da queima e do sistema de respiro de gás variam de estado para estado. Até agora, muitos produtores puderam tratar o gás natural da melhor forma de acordo com sua conveniência – mas seria prudente que empresas visionárias se planejassem para mudanças nos próximos anos. O controle da queima de gás e do sistema de respiro continua a aumentar, o que significa que é provável que chegue o dia em que as empresas terão que tomar mais cuidado com suas saídas de gás natural. Fazer a incorporação de um sistema de captura e conversão agora colocará a sua empresa à frente da regulamentação (que parece inevitável).
  • Transforme seu negócio em uma empresa com consciência ambiental. Reduzir sua pegada de carbono será ótimo para seus negócios. Mostre que pode fazer uso total do gás natural gerado como subproduto da sua produção de petróleo – em vez de fazer parte do grupo de empresas que preferem o desperdício ao queimar ou liberar no ar energia suficiente para abastecer cidades.
  • Economize recursos financeiros. Neste exato momento, você está pagando pela energia que abastece suas unidades de produção. Com a nossa tecnologia, é possível economizar esse recurso financeiro e se beneficiar da energia que já produz.

Entre em contato com a SoEnergy hoje mesmo para saber mais sobre nossa solução de queima de gás. Deixe-nos ajudá-lo a estar à frente da curva.